O Investimento Estrangeiro Direto (IED) é, num sentido mais amplo, a movimentação de capitais internacionais para propósitos específicos de investimento, quando empresas ou indivíduos no exterior criam ou adquirem operações em outro país. O IED engloba “fusões e aquisições, construção de novas instalações, reinvestimento de lucros auferidos em operações no exterior e empréstimos intercompany (entre empresas do mesmo grupo econômico)”.

Segundo o Banco Mundial, entre os benefícios do IED estão, sem dúvida, os seguintes:

  • Geração de Empregos
  • Transferência de competências e desenvolvimento
  • Transferência de tecnologia
  • Acesso a redes de marketing internacionais
  • Fonte de financiamento externo
  • Balanço de pagamentos
  • Efeito de transbordamento na economia doméstica
  • Desenvolvimento da infraestrutura

Adicionalmente, o investimento estrangeiro faz com que as empresas cresçam, nivela as economias de escala em mercados domésticos e promove resultados tais como: maior produtividade, rentabilidade, geração de riquezas e empregos. O IED também expõe as empresas nacionais a novas ideias e práticas, e pode ainda significar um aumento do fluxo de saída de exportações.